A origem do envelhecimento da cachaça em barris de madeira

Quando os tonéis, pipas, dornas ou barris de madeira começaram a ser usados no Brasil para “domar” o destilado feito nos engenhos de cana-de-açúcar? É praticamente impossível responder, mas o folclorista Mário Souto Maior, ao indicar a quem se destinava a cachaça nos primórdios de nossa história, dá uma pista: “Os portugueses se deliciavam com o vinho gostoso da santa terrinha, aqui chegado em pipas no bojo dos veleiros. Aguardente da terra era bebida de negros”. É certo que a produção da cachaça foi sendo aprimorada ao longo do tempo, tanto que saiu da senzala e chegou às mesas dos senhores de engenho, gerando a insatisfação dos portugueses, que sentiram no bolso a diminuição do consumo de sua bagaceira – feita com o mosto de uvas. A Corte tentou, através até mesmo de decreto régio, proibir a fabricação no país, mas a cachaça tornou-se rapidamente um dos símbolos da resistência contra a dominação portuguesa. Passou a fazer parte dos ideais inconfidentes, o que explicaria, segundo historiadores, a disseminação de alambiques em Minas Gerais.

Fonte: http://noticias.bol.uol.com.br

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s